Nossas fotografias morrem



Eu me lembro daquele dia e das fotos que tiramos. Meu sorriso forçado e seu óculos embaçado. Me lembro do beijo estranho e de como ele fez eu passar a odiar chocolate branco. Me lembro quando aquela foto foi parar no meu mural e eu tive que explicar para minha mãe que você era apenas um amigo.

Me lembro de ver você se tornar apenas isso, e depois sumir. Eu te odiei e passei a torcer para que você sumisse.

Eu vejo minhas fotos de quando eu ainda era uma criança e me assusto com as suas verdades. Torço para que aquele sorriso um dia volte, quem sabe nele.

Eu rasgo as minhas fotos, porque tenho medo de que aqueles momentos voltem. Eu não quero eternizá-los.

O amor não é como papel, e mesmo se fosse, eu seria a água. Eu adoraria ser o oceano.

Rasgue suas fotos, porque essa é a melhor coisa que pode te atingir.


0 comentários:

Postar um comentário