Melodia errada



        Hoje eu acordei feliz e coloquei minha música favorita para tocar. Sim, eu coloquei uma música da Lana del Rey. Imediatamente pensei nas minhas frustrações para esse ano, em Abril, eu iria em seu show. Risos.

        Música sempre me tocou de uma forma especial, então eu agradeci quando o aleatório me levou pra uma música super agitada e controversa. As vezes eu escuto rap, escondido porque eu acredito que vou ser julgado se as pessoas verem meu spotify. O que diabos iriam dizer se soubessem que eu escuto Kanye West?

        Bom, agora já sabem.

        Eu acredito em pessoas de uma maneira muito estranha, eu vejo cores e sinto texturas. Eu julgo ideais porque eu não tenho nenhum. Eu sou controverso.

        Eu discuto com quem eu amo, porque eu preciso ser ouvido de alguma forma. Assisto aquela competição de drag queens porque isso é o mais perto que eu chego da minha causa.
    Nesses dias eu li um tweet em que um homem dizia ter pintado suas unhas e que vitória aquilo tinha sido! Também vi várias respostas agressivas.

“A gay padrão acha que pintar a unha é quebrar barreira”

“ual, a rebelde biscoiteira”


        Eu também quero pintar minhas unhas, e eu já fiz isso. Foi um peso enorme. Somos tão acostumados a alimentar nossos monstros. Esse era seu monstro, e talvez possa ser um Chihuahua para você. Quem se importa?

        Talvez eu devesse abandonar o twitter.

        Sabe, as vezes eu acho que damos tanto valor para o passado que acabamos por ignorar o presente. No futuro, esse presente que será nossa saudade. Não faz sentido. Nada faz.

0 comentários:

Postar um comentário