Lua



Eu me sinto preso nesse banco. É como se eu não pudesse me levantar. A sensação de ter alguém aqui é tão boa. Eu sempre gastei boas horas me perguntando se um dia isso aconteceria comigo.

Bem, aqui estou.

Esse shopping nunca foi tão lindo, o banco de madeira nunca foi tão confortável e eu poderia ignorar até mesmo um tsunami. Deus, por favor me ignore. O mundo não pode acabar agora.

Nós dividimos seu fone de ouvido. Eu me sinto importante por isso. É como naqueles tweets onde dizem que se alguém divide o fone com você é porque você é importante.
   
Pelas vidraças que dão para a rua eu consigo ver que a noite já caiu, a praça em frente ao shopping hoje está iluminada não só pelas luzes dos postes, hoje ela conta com a lua. Está incrível, cheia e tão brilhante. Eu penso em como isso é irônico, tão longe e tão brilhante. Um mistério. Eu também penso que às vezes o brilho pode estar perto, e nós é que estamos em outra galáxia. 

Nos nossos fones Ariana Grande canta uma das suas músicas mais bonitas, uma sobre querer só um pouco do coração de alguém.

Eu nunca tive isso, eu não consigo entender essas palavras. Eu sou pragmático e metódico. Eu sou um tolo, como uma outra música diz.

E  então ele decide abrir a boca.

“Sabe, eu escuto essa música todos os dias, pensando em você. Acho que é a hora de eu te dizer isso. Ela é exatamente o que eu quero te dizer nas últimas semanas e agora eu vou desatar e falar muito porque eu estou nervoso. Então eu agradeceria muito se você dissesse algo”.

A música termina, o aleatório vai pra uma música barulhenta e a voz da Ariana agora alcança notas altas.

E essa música é exatamente o que eu sinto por dentro.

0 comentários:

Postar um comentário