Festas sempre acabam


Vamos nos divertir hoje. Prometo. 
Você pensou na sua roupa a semana toda, é hora de se arrumar e se sentir bem. Não esqueça a bebida. É o seu ingresso pra festa.

Tá tudo tão bagunçado que é bom que você tenha esse dia. É bom que você vá se encontrar com seus amigos e encontrar suporte. Eu fico feliz daqui em saber que você está ao menos tentando.

Lembre-se do que seus pais disseram e não beba muito, eu não vou poder testemunhar por você depois. Não se afogue hoje, por favor

Droga, eu falo isso como se você fosse um quebra cabeças de dez peças. Fácil de montar e decepcionante. Não tem nada que eu possa fazer.

||


Aconteceu de novo, merda. Caralho. Minha cabeça gira e eu seguro seja lá o que quer ultrapassar minha garganta. Eu sempre digo que não vou me atolar. Só mais um copo, só mais um trago. 

Como eu vim parar aqui? Cadê ele? Meus pais ligaram? Tudo bem desculpe, eu vou fazer silêncio para que sua mãe não me escute. 

Eu quero gritar e me rasgar, eu quero sentir. Quero sumir daqui e ir pra minha casa. Quero que ele vá comigo. Quero que meu corpo seja capaz de expelir tudo agora mesmo. 

Será que um dia alguém vai notar? Que no meio de tanta droga e álcool eu sou um pedido de socorro? Será que alguém um dia vai se importar a ponto de me estender a mão? 

Eu não posso mais beber, da próxima vez eu vou me divertir sem isso. Essa é uma promessa pra mim mesmo. As drogas matam, mas essa é a melhor parte. 



Um comentário: