Não leia esse texto



Matei parte de mim, abri as portas e deixei que ela se fosse. 

Foi daquele jeito por vinte anos. Definitivamente muito tempo. Da melhor maneira possível. Você não pode — nem deve — se arrepender de escolhas passadas. Felizmente a vida não é um jogo para desistentes. Insista, você vai chegar lá. 
“Pegue a caneta, escreva para o seu eu de dez anos”, me disseram. 

--

“Você não está perdido, uma década de vida não te machucou o suficiente. Sabe Vinícius, você ainda tem tanto para conhecer, comece por você. Nesse momento, sua cabeça idolatra pessoas e cultiva sentimentos errados. Você não é só uma memória perdida. 

Você tem um mar, um céu, você vai criar o seu infinito e aprender a viver com ele. 

Não deixe que eles te afetem, não vai tardar e logo seus sentimentos serão maiores que qualquer opinião de terceiros. Lidar bem com isso vai ser sua melhor habilidade, por um tempo...

Se eu pudesse te fazer uma pergunta agora, seria a respeito do amor. Eu poderia levantar dados em diferentes estágios da vida a respeito disso. Será que você já sabe a bagunça que agita seu peito? Qual o seu nível de perdedor?

Eu posso ser o seu travesseiro até o seu ultimo suspiro, você vai ser amado e odiado. Vai ter amigos, os melhores. Outros vão embora. Você vai amar pessoas erradas até achar a certa, e ele vai ser incrível. Pessoas são estrelas. Você vai se questionar e tentar muitas saídas. 

Sabe Vinícius, você precisa de muito mais que duas décadas para aprender a vida. Logo você, que tanto escreve sobre. Você não está perdido, mas o mundo gira enquanto você se mantém no lugar de sempre. Mova-se.  

Respire, você precisa de um tempo. Seja aquela música que te faz feliz."

0 comentários:

Postar um comentário