Menor que três



Hazel Grace se despediu do seu amor com números. Superficialmente, é isto. Ela só queria que todos entendessem a imensidão de um infinito. Esse, sempre vai ser meu quote favorito:


"Não posso falar da nossa história de amor, então vou falar de matemática. Não sou formada em matemática, mas sei de uma coisa: existe uma quantidade infinita de números entre 0 e 1. Tem o 0,1 e o 0,12 e o 0,112 e uma infinidade de outros. Obviamente, existe um conjunto ainda maior entre o 0 e o 2, ou entre o 0 e o 1 milhão. Alguns infinitos são maiores que outros. Um escritor de quem costumávamos gostar nos ensinou isso. Há dias, muitos deles, em que fico zangada com o tamanho do meu conjunto ilimitado. Queria mais números do que provavelmente vou ter, e, por Deus, queria mais números para o Augustus Waters do que os que ele teve. Mas, Gus, meu amor, você não imagina o tamanho da minha gratidão pelo nosso pequeno infinito. Eu não o trocaria por nada nesse mundo. Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias numerados, e sou muito grata por isso".
Hazel Grace GREEN, J. A Culpa é das Estrelas. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2012.


Essa costumava ser minha história de amor favorita. Era tudo tão dramático e intenso. Minha melhor amiga me fez consumir cada palavra do Green. Éramos tão inocentes. Hoje, ela é mais feliz do que isso. Quase do jeito que deve ser.

Sabe, um dia eu poderia escrever sobre nós. Seria estranho, mas sorrio diante do desafio. Quem seria você em palavras? Eu não sei se conseguiria.

Mas eu sei o desenvolvimento dos nossos personagens. Figurinhas no guarda-roupas não dizem nada sobre personalidades. Você sabe disso. É tudo mais dramático e intenso.

Hey, vamos fazer uma chamada de vídeo?

Eu gosto de te ver falar, a maneira como tudo sai tão naturalmente. É, eu gosto disso. Gosto do amanhã também, você vai estar lá?

Fato: Eu não tenho medo dessa resposta.

Voltando aos números. Eu costumava ser um quatro. Eu me coloquei nessa, eu escolhi ser um quatro. E então você apareceu.

Boa noite.

Aceito ser algo novo, um pedaço de algo que talvez se torne um outro número qualquer. Não vamos sonhar tão alto quanto Hazel e Gus, eles estavam fadados ao “OK” desde o primeiro caractere. Qual é nossa primeira palavra?

Eu gosto do O no seu nome.

Há anos eu tenho sido totalmente fascinado pelo céu. Se juntarmos ao sol, podemos ter algo? Você gosta do número 3?



Menor que três.

0 comentários:

Postar um comentário